Em nome da verdade

Em busca da verdade
percorri noites estranhas
planícies enormes,
e luas negras
em voltas
em trevas…

Em busca da verdade
encontrei,
demônios perdidos,
anjos arrependidos,
almas com cara
de poucos amigos…

Em busca da verdade
dei de cara
na porta,
escrevia com letras mortas,
me precipitava,
e me entretia,
ao assistir,
cenas de putaria…

Em busca da verdade
assumi que não
curtia da o cu,
mas que gostava
de um peru,
que só brisava,
mas no meu nariz
nunca entrou
nenhum angu…

Em nome da verdade
hoje sei,
que sou uma miscelânea,
de coisas estranhas,
de mente profana,
que sou sincero
além do ponto,
mesmo quando devia
ser falso,
pra agradar uns tantos
que eu encontro…

Em nome da verdade
é necessário,
e preciso
dizer que não tô
nem aí,
que a vida
como todo mundo sabe
é curta,
pra ter que viver
e fingir ser infeliz…

Em nome da verdade
a mais verdadeira,
é preciso
reconhecer
que tenho milhões
de defeitos,
mas esse
é meu jeito
e foda-se
tudo aquilo
que aos outros
não diz respeito…

Paulo Alfuns

Autor: Paulo Alfuns

...poeta por (vocação), astrólogo por (formação), freelancer na luta do ganha-pão....

2 comentários em “Em nome da verdade”

    1. Poesia pra mim é válvula de escape emocional… provavelmente, é onde eu tô mais acessível, pq é sempre meu emocional em cena…. e de resto, nunca fui de fazer média (fingir)…. a vida é como ela é, diria o mestre Nelson….. brigado pela presença, e por cada palavra…. vlw

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s