lero lero ou o canto do blá blá blá… (versão light)

Negra poesia
de tons berrantes,
Negra poesia
de caminhar vacilante…

Lenda poesia
de olhares tortos,
Lenda poesia
que me faz,
lembrar dos fortes…

Não sabes
mas fui elegido
um cruel,
Mentira! só
porque da minha língua
se sentia o gosto
do fel…

Vou te falar
que não sou
seu santo,
Se queres milagre,
joga pra outro
o seu manto…

Vou te falar
tu sabe
que quando quero
sou mais
que sincero,
então não amola…

Já cansei do teu lero…

✳ esse poema está numa versão light (um estrofe foi suprimido, já que minha própria consciência me diz que estava a mais) 15/05/2019 – 10h30
Paulo Alfuns

Autor: Paulo Alfuns

...poeta por (vocação), astrólogo por (formação), freelancer na luta do ganha-pão....

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s