Anti-poesia

Gira a roda
começa com a
certeza,
Gira a roda
termina,
com a imprevisão

O orgulho
determina a queda
e cega,
o grande e o pequeno,
o nobre e o servil,
o mestre e o aprendiz

Gira a roda
e a confusão
se faz presente
apresentando,
o que já está
tangente…

Paulo Alfuns

* publicado originalmente no dia 07/10/2018

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: