Toda Nudez Será Castigada

É um clássico. A começar pelo título, Toda Nudez Será Castigada, é um filme atípico, atípico porque é um grande filme do cinema brazuca, e não só do nosso cinema, mas, do cinema, Toda… foi premiado em Berlim, num dos maiores festivais… muito bem encenado, compacto (nada se tira, nada se põe), impacto, veio pra impactar mesmooo…baseado, palavra boa…, baseado numa peça do icônico Nelson Rodrigues, o nosso autor teatral maior, gênio do “a vida como ela é”, sem máscaras, sem hipocrisia, mostra um recorte da já na época (o filme é de 1972, mas, há controvérsias se foi lançado em 72 mesmo ou 1973) decadente moral da tradicional família “de bem”… tragédia pra grego nenhum apontar defeito… a história pode ser brutal (especialmente para pseudo-puritanos/pseudo-moralistas)… Herculano, viúvo, se acabando no álcool de desgosto, é convencido pelo irmão a conhecer uma nova mulher… Geni, a personagem, interpretada pela icônica estrela Darlene Glória, faz da sua Geni, uma das figuras mais humanas do cinema… totalmente carnal, totalmente coração, numa mistura, capaz de deixar qualquer Herculano (Paulo Porto, perfeito) da vida, loucamente cativado… Geni, tem calor humano, é amorosa, carente como ela só, mas, disposta a ser feliz, sem culpa ou vergonha… me lembrou, na essência, a também magnífica personagem, feita pela grande atriz / estrela icônica Anna Magnani, no filme do Pasolini, Mamma Roma… Eu nunca fui de teatro (feito para a elite), então, nunca assisti nenhuma montagem da peça, não sei se está toda no filme, mas, é muito raro um caso onde um filme, saído de uma peça, não pareça teatro filmado, aqui não existe isso, tá tudo perfeito, a trilha (tango) do Piazzolla, as tias velhas feitas por duas atrizes tão brasileiras, mas, nascidas lá fora, Henriqueta Brieba (espanhola), Elza Gomes (portuguesa), Paulo César Pereio (o eterno sacana mor), faz o irmão, o filho feito pelo Paulo Sacks (seu enlace com o boliviano, é rir pra não chorar), a bicha, assim mesmo, a bicha feita pelo grande Sérgio Mamberti (não reconheci de primeira o ator), perfeita, e aqui, faço um comentário pessoal, tenho a impressão, que toda gay no passado, só tinha espaço pra ser amigo, ou próximo, de mulheres, como a Geni… mas, acho que é só uma impressão minha… fotografia do Lauro Escorel, fodastica… a cópia que vi, tá aparentemente, restaurada, isto é, ótima… Quem nunca viu, esse clássico, ou já ouviu falar, mas nunca assistiu, e tem curiosidade, bora… com certeza é a obra prima do cineasta Arnaldo Jabor… vale, e muito, conhecer…

Paulo Alfuns

* não sou crítico de cinema, mas, amo filmes o suficiente pra falar / escrever sobre…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: