Na natureza a tudo se agradece…

Há diversas chuvas na paisagem… Há chuvas com sol, nos lembrando que mesmo, entre lágrimas pode rolar um anzol Há chuvas com raios, nos lembrando que a gente tá ruim pra caralho… Há chuvas que lavam a alma… e a calçada, também… E a chuvas realistas, e de surpresas como a de anteontem que euContinuar lendo “Na natureza a tudo se agradece…”

Isto, Acima de Tudo

O título brasileiro, já dá uma idéia de que é um filme antigo, estilo dramático… de alguma forma, o título combina com o nome do seu realizador, Anatole Litvak… Me surpreendi… Não era o filme que eu ‘tava buscando assistir, mas, valeu mesmo assim… Fazia muitooo tempo que não assistia um filme com Tyrone Power,Continuar lendo “Isto, Acima de Tudo”

Tempo

Todos os dias há flores nos jardins Algumas sorriem outras gargalham, numa alegria sem fim… Todos os dias caem as folhas daquelas que eram sombras para os homens pouso pra gaivotas… Todos os dias, os climas se encontram cada vez mais bizarros, uns vêem outros sucumbem, e, no final Tudo se funde… Paulo Alfuns

Matou a Família e Foi ao Cinema

Sui generis A começar pelo título, que é um dos mais originais do cinema (todos os cinemas) É tudo muito simples, aparentemente difícil (eufemismo pra sem pé, nem cabeça) no princípio, mas, não é… acompanha-se… Aparentemente, são pessoas (personagens) vivendo no limite, e que decidem transgredir… É um bom cinema – jamais tosco – jáContinuar lendo “Matou a Família e Foi ao Cinema”

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora