um pouco de poesia

aquele ânus
galhardo
engoliu meu pênis
sem eu perceber
quem diria
que esse tipo arado
era arrombado
de tanto foder…

aquela foda
soturna
parecia não ter
fim…
rebolava descontrolado
numa loucura
em mim

enquanto
sentava alucinado
eu me perguntava
porque tava metendo
nesse tresloucado…

Paulo Alfuns

Quem não conhece a si próprio, não conhece ninguém

Meu sorriso
torto,
se mostra
sem que,
eu possa controlar
É um reflexo
do meu Eu
que se projeta
sem pensar

Meus eus verdadeiros,
estão sempre
a me desafiar
Eu vou lutando
para que não
possam me
ganhar

Meu sol / ascendente
são duplos,
em seu manifestar
Minhas facetas
são múltiplas
Não perca
tempo,
em me rotular…

Paulo Alfuns

Só descia no inferno pra te encontrar…

ainda sinto
o seu cheiro
o gosto do seu corpo
o suor do seu cigarro

ainda lembro
do seu olhar desconfiado
do seu sorriso debochado
do prazer e terror
de estar ao seu lado

ainda lembro
da sua voz no meu ouvido
do seu sussurro num grunhido
do seu jeito de me pegar
firme, duro, decidido

ainda lembro
do seu rosto belo
de coração gélido
totalmente pervertido

Paulo Alfuns