poema

Sou podre, mas, sou feliz!

Encontrei
teu nome na esquina
Vinha com licença poética,
me come, me fascina…

Não adianta
negar,
Quem me lê
talvez não entenda
mas racho
o bico,
quando escrevo escrotices
pra te deixar
horrorizado,
e com mais vontade
de me trepar…

Não tenho nada
além da pretensão,
tua energia
gasta em mim
uma satisfação,
teu veneno
eu transformo
em rimas,
em qualquer situação…

Continue assim
que está do jeito
que eu gosto,
Vou brincando
de diabo,
e tu sabe
que vai perder
a aposta…

Minha alma dissoluta
caminha e expulsa,
todos os demônios
que você me mandou
e continuo,
me alimentando
do ar envenenado,
que o vento agraciado
em meu vulto,
assoprou…

Paulo Alfuns

poema

lero lero ou o canto do blá blá blá… (versão light)

Negra poesia
de tons berrantes,
Negra poesia
de caminhar vacilante…

Lenda poesia
de olhares tortos,
Lenda poesia
que me faz,
lembrar dos fortes…

Não sabes
mas fui elegido
um cruel,
Mentira! só
porque da minha língua
se sentia o gosto
do fel…

Vou te falar
que não sou
seu santo,
Se queres milagre,
joga pra outro
o seu manto…

Vou te falar
tu sabe
que quando quero
sou mais
que sincero,
então não amola…

Já cansei do teu lero…

✳ esse poema está numa versão light (um estrofe foi suprimido, já que minha própria consciência me diz que estava a mais) 15/05/2019 – 10h30
Paulo Alfuns

poema

Cúpido do amor

Lançei
uma flecha
no seu coração
penetrou forte,
e causou,
dor, estragos
arrepios de amor…

Lançei
uma flecha
na palavra
que não
queria te dizer,
tu abraçou
guardou,
e não revelou…

Lançei
uma flecha,
no encontro
do teu caminho,
mas, tu safado
já tava se divertindo,
traçando o cu
do vizinho…

Paulo Alfuns

poema

O Sol

O Sol contínua
a brilhar,
mesmo que venha
perrengues,
nunca deixa de se levantar,
para o nosso dia
iluminar…
O Grande Doador
de luz,
não faz distinção,
agrega e abraça
a todos,
com seu calor,
bom humor,
e doses gerais,
de amor….

Paulo Alfuns

poema

A cor de Deus

O Deus do amor
não tem cor,
não tem ego,
desejo e nem
preferências

O Deus do amor,
está em todos
os seres,
porque da luz
do seio D’Ele
os teve…

O Deus do amor
não reside,
na maldade…
Ele se espalha,
vive e brilha,
na diversidade…

Paulo Alfuns

15551001985cb0f226664eb_1555100198_2x3_md

Essa imagem publicada ontem, 14/04, na Ilustríssima, da artista Veridiana Scarpelli, reflete muito do que eu queria expressar… minha homenagem a todos aqueles (eu me incluo), cuja cor, e diferença (apesar de todas as intempéries) ainda buscam fazer deste mundo, um lugar bem melhor…

P.A.