Pedras no caminho

O mago cruzou
a aurora,
erguendo a espada
se lançou no mundo
sem demora

Atravessou as paredes
de vidro,
da cidade Infernal
encontrou 03 feras
de rostos mágicos,
e ar abismal

Ao passar
pela estrada
de vielas e cruzes
sentou nas pedras
do caminho

O mago
sabia onde ia,
e seguia,
intocado
em seu caminho

Paulo Alfuns

* publicado originalmente no dia 17/11/2018

Toda Nudez Será Castigada

É um clássico. A começar pelo título, Toda Nudez Será Castigada, é um filme atípico, atípico porque é um grande filme do cinema brazuca, e não só do nosso cinema, mas, do cinema, Toda… foi premiado em Berlim, num dos maiores festivais… muito bem encenado, compacto (nada se tira, nada se põe), impacto, veio pra impactar mesmooo…baseado, palavra boa…, baseado numa peça do icônico Nelson Rodrigues, o nosso autor teatral maior, gênio do “a vida como ela é”, sem máscaras, sem hipocrisia, mostra um recorte da já na época (o filme é de 1972, mas, há controvérsias se foi lançado em 72 mesmo ou 1973) decadente moral da tradicional família “de bem”… tragédia pra grego nenhum apontar defeito… a história pode ser brutal (especialmente para pseudo-puritanos/pseudo-moralistas)… Herculano, viúvo, se acabando no álcool de desgosto, é convencido pelo irmão a conhecer uma nova mulher… Geni, a personagem, interpretada pela icônica estrela Darlene Glória, faz da sua Geni, uma das figuras mais humanas do cinema… totalmente carnal, totalmente coração, numa mistura, capaz de deixar qualquer Herculano (Paulo Porto, perfeito) da vida, loucamente cativado… Geni, tem calor humano, é amorosa, carente como ela só, mas, disposta a ser feliz, sem culpa ou vergonha… me lembrou, na essência, a também magnífica personagem, feita pela grande atriz / estrela icônica Anna Magnani, no filme do Pasolini, Mamma Roma… Eu nunca fui de teatro (feito para a elite), então, nunca assisti nenhuma montagem da peça, não sei se está toda no filme, mas, é muito raro um caso onde um filme, saído de uma peça, não pareça teatro filmado, aqui não existe isso, tá tudo perfeito, a trilha (tango) do Piazzolla, as tias velhas feitas por duas atrizes tão brasileiras, mas, nascidas lá fora, Henriqueta Brieba (espanhola), Elza Gomes (portuguesa), Paulo César Pereio (o eterno sacana mor), faz o irmão, o filho feito pelo Paulo Sacks (seu enlace com o boliviano, é rir pra não chorar), a bicha, assim mesmo, a bicha feita pelo grande Sérgio Mamberti (não reconheci de primeira o ator), perfeita, e aqui, faço um comentário pessoal, tenho a impressão, que toda gay no passado, só tinha espaço pra ser amigo, ou próximo, de mulheres, como a Geni… mas, acho que é só uma impressão minha… fotografia do Lauro Escorel, fodastica… a cópia que vi, tá aparentemente, restaurada, isto é, ótima… Quem nunca viu, esse clássico, ou já ouviu falar, mas nunca assistiu, e tem curiosidade, bora… com certeza é a obra prima do cineasta Arnaldo Jabor… vale, e muito, conhecer…

Paulo Alfuns

* não sou crítico de cinema, mas, amo filmes o suficiente pra falar / escrever sobre…

🌞♐ / 🌕 ♒

Bom dia pra nós, iniciamos a reta final de mais um ano… O 🌞 continua a caminhar por ♐ e a 🌕 em trânsito por ♒ fazem uma boa dobradinha, com esses dois signos amantes da liberdade… Domingo bom para estar com amigos, em grupos, ou simplesmente caminhar por longas paisagens, aprendendo algo diferente e inusitado…

Paulo Alfuns

IMG_20191201_081714267_HDR
Foto pessoal – mar de Santos

Aos colegas da escrita…

Eu ia apenas
comentar,
um comentário
simples,
sem rimar

Mas, aqui estou
a falar,
e a pergunta
eu deixo,
no ar,
se acaso
alguém ler
querer
se apresentar

Será,
que existe
entre nós
algum,
escritor,
poeta, autor
que esteja
realmente feliz
e sabe onde
quer chegar?

Tenho
a impressão
que estamos
a deriva,
buscando
um porto,
ou alguma
forma pífia,
se salvação,
antes de mergulharmos
de vez,
na solidão…

Paulo Alfuns

Pra todos os Santos

Ontem
foram gritos,
e sussurros
era o som
da chibata
ouvida e sentida
vinda de longe,
pra este mundo…

O pau brasil
se foi,
secou
mas deixou
seu legado,
de dor, tragédia
extremo horror…

Ontem foi…

Hoje
quem chora
são seus
filhos e netos
e todos seus
descentes
atacados
em lugares
públicos e privados
querem lhe destruir
por ameaças,
intimidações
fogo, e fumaça…

O desejo
de quem
até agora,
não se conformou
é humilhar
e maltratar
quem não tem
a sua cor
porque,
acredita
que o negro
nasceu ainda
pra servir,
e eles
serem seu senhor…

Ontem, e
hoje,
ainda
gritam os que
orgulhosamente
da sua origem
são negros…

Os navios
do submundo
chamados,
navios negreiros
só mudaram,
sua rota
e a sua face,
continuam
a ser ainda
comandados,
e guiados
por sinistros
carniceiros…

Paulo Alfuns

Há clima

Há um clima
no ar,
trazido
pelas nuvens cinzas,
que no céu
estão a caminhar…

Há um clima
entre eu,
e você
raiva, angústia
tristeza,
emoções
que eu não sei dizer…

Há um clima
e não é
só,
entre eu
e você,
é sobre todos
que caminham
entre o céu,
e o abismo,
e não sabem
o que fazer…

Paulo Alfuns

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora